sexta-feira, 30 de setembro de 2016


A alta grandiosidade incrível do Evento Monte Sinai.



"Porque ele é tido por digno de tanto maior glória do que Moisés, quanto maior honra do que a casa tem aquele que a edificou". Hebreus 3:3



O Monte Sinai foi envolvido pela GLÓRIA DE DEUS por várias semanas a fio, quando então seus anjos tocavam as trombetas cada vez mais alto nos altos do monte envolto em fumaça, fogo, raios e trovões e que tremia o tempo todo. Mas o mais impressionante ERA A LUZ QUE ENVOLVIA A FIGURA DE DEUS 

Segundo 2 Coríntios, capítulo 3, essa Glória Imensurável produziu evidentes reflexos no rosto de Moisés, que teve de se cobrir com um véu quando se apresentou ao povo, mas, se bem que se tornou importantíssimo o Grandioso Evento Monte Sinai, a Glória de Jesus superou toda a grandeza de Moisés.


Eu, Waldecy Antonio Simões, internauta ativo na propagação da Palavra de Deus, pertenço a uma das 398 congregações pelo mundo que santificam o sábado como o Dia do Senhor, portanto somos os remanescentes que não aceitaram a subserviência ao papado romano de tantos erros. Siga o Link:

http://gospel-semeadores-da.forumeiros.com/t12521-todas-as-igrejas-que-guardam-o-sabado. 

“Ainda que o número dos filhos de Israel seja como a areia do mar, o remanescente é que será salvo”. Romanos 9:27

“...De muitos que éramos, podes ver a quão poucos fomos reduzidos”.   Profecias, em Jeremias,  42.2.


Veremos aqui, com detalhes mais que suficientes, porque o Senhor Deus fez questão de realizar um ato altamente surpreendente que durou várias semanas, Cerimonioso, Grandioso, Chamativo ao limite, Majestoso e pode-se dizer o ato mais espetacular da Terra e até Aterrador, pois raios, trovões, o fogo e a fumaça cercavam o Monte Sinai, que vibrava fortemente, enquanto, por todo o tempo, uma legião de anjos tocavam suas trombetas cada vez mais alto.

Todo o Monte Sinai fumegava, pois o Senhor havia descido sobre ele em fogo. A fumaça subia como fumaça de uma fornalha, e todo o Monte tremia muito. Enquanto o som das trombetas aumentava cada vez mais, Moisés falava ao Senhor e ele respondia por meio de um trovão”. Êxodo 19:18 – 19.

Por certo esse evento sem par foi feito pelo Senhor Deus exatamente para chamar a atenção da humanidade de todos os tempos para a alta importância da promulgação oficial e propagação de suas leis que ali aconteceram. e notemos a sabedoria do Criador, pois sendo as leis para obediência irrestrita pela humanidade, mesmo resumidas abrangem todas as situações legislativas celestes com relações a todos os viventes.

Segundo as Escrituras, a importância que o Senhor Deus atribuiu ao Decálogo foi tão extensa, grandiosa, sublime, marcante, extraordinária que, diferente de seus procedimentos anteriores quando ordenava a seus profetas escreverem suas palavras para a posteridade, desta vez  ele fez questão de escrever, pessoalmente, pela primeira e única vez, também para a posteridade, nos altos de um monte em meio a um grande deserto (Êxodo19:18).  



E mais: Veja que o Senhor Deus promulgou suas leis POR AMOR À HUMANIDADE:

Pela sua imensa Sabedoria e Coerência, o Criador não registrou suas leis à Humanidade nos papiros que se dissolvem, mas com o fogo de seu olhar cravou-as, fundiu-as profundamente nas rochas sólidas para que nunca se apagassem, todas as suas leis, uma a uma, regulamentos resumidos, mas absolutamente perfeitos e suficientes para nortear o homem em suas ações, concedendo à Humanidade a grande e maravilhosa chance de viver sem problemas, sem tribulações,   
pois se todos obedecessem a todas as leis do Decálogo, os seres humanos estariam a viver num mundo de sonhos: todos se respeitariam, não haveria criminosos, nem a necessidade de grades, de trancas, de polícia, de exércitos armados e de qualquer tipo de armas  e artefatos feitos para conflitos e guerras, o mundo seria muito mais saudável, viveriam muito mais; não haveria pobres muito pobres, como também o Senhor Deus seria muito mais honrado e glorificado e, certamente,  a paz sobreviria sobre a Terra inteira.  

E tem tolos evangélicos que pretendem acabar com o Decálogo, pois "as leis são malditas" interpretando ao avesso a Carta aos Gálatas:




http://ebemfacilinterpretaracartaaosgalatas.blogspot.com.br/

O Senhor Deus, o mesmo que revelou QUE NUNCA MUDA (Malaquias 3:6), se promulgou seus 10 Mandamentos, se tivesse mudado, como querem católicos, ortodoxos e católicos, lixando das rochas das leis um ou dois dos mandamentos cravados nas Rochas Sagradas das leis, ELE TERIA SIDO UM MERO INCOERENTE. Se ele mesmo afirmou que NUNCA MUDA, certamente se referindo às suas promulgações à Humanidade, a maior das promulgações foi exatamente a ocorrida no Monte Sinai.

Por isso, como é impossível Deus ter se  "arrependido" e cortado dois dos mandamentos do Decálogo, o que proíbe a feitura de imagens e culto a elas e o mandamento do sábado, chamado por Deus de Santo e Bendito, e ainda instituído como UM SINAL entre ele e a Humanidade, TODOS OS DEZ MANDAMENTOS SÃO PARA SEMPRE, e o próprio Jesus legitimou isso no Evangelho ao bradar, também sobre um monte, que podem ser destruídos os Céus e a Terra inteira antes que das 10 leis de Deus Pai se consiga retirar ou acrescentar um só caractere, sendo que o mandamento do sábado tem 405 caracteres.

Uma das provas legítimas que o Senhor Deus jamais muda em suas promulgações aos viventes, aconteceu com Adão e Eva. Pela Desobediência ao seu único Mandamento promulgado ao casal, Deus lhes colocou severos castigos, tudo respingando em nós outros segundo os mistérios de Deus Pai, e nem a vinda do Jesus do Amor, que se emocionava e até chorava vendo a miséria humana, não conseguiu nem amainar as dores do parto. Por que?  Porque ele sabe que Deus Pai NUNCA MUDA em suas promulgações, sejam elas quais forem. pois isso é parte de sua PERFEIÇÃO E COERÊNCIA.

Mas evangélicos, católicos e ortodoxos pretendem fazer DEUS MUDAR.   Quanta ignorância sobre as coisas de Deus, cuja Verdade é tão latente.  Os "sábios" da religião estudam Teologia e outros assuntos ligados a ela e mesmo assim não conseguem se desligar da alta ignorância, julgando que Deus Pai se contradiria no evento Ressurreição de Jesus, cortado o Mandamento do sábado. Grande farisaísmo, hipocrisia e alta estupidez religiosa!!!



Os apóstolos de Jesus e os demais cristãos da Igreja Primitiva jamais guardaram um só domingo, e provaremos agora:  Esse dia só começou a acontecer como “substituto” do sábado no ano 364 de nossa era, ou seja, 334 anos depois da Ressurreição de Jesus.  Portanto, somente mais de três séculos depois da Ressurreição de Jesus os cristãos passaram a desrespeitar o sábado promulgado por Deus no Monte Sinai, e mesmo assim obrigados sob severas penas, até de excomunhão, segundo o Cânon 29 do Concílio de Laodicéia. (ver fontes abaixo).
“Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra.   Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus;não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas.  Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o Senhor o dia do sábado, e o santificou”. Êxodo 20:8-11

Pode-se discutir preceitos bíblicos, quando dão margem a mais de uma interpretação, mas NEGAR A HISTÓRIA  e as RAÍZES DA IGREJA, que também é História, isso não é possível, dentro da honestidade.

No Evangelho, não encontramos uma só linha que informe que o sábado viria a ser “substituído” pelo domingo da Ressurreição de Jesus (mesmo porque isso seria impossível),  mas a História e as Raízes da Igreja nos revelam que somente no ano 364 os cristãos foram obrigados a passar a guardar o tal domingo.

O bispo de Roma, Libório (Papa Libório pela marcação católica) convocou um concílio denominado Concílio de Laodicéia, para finalmente decretar uma proibição que já vinha sendo planejada e ensaiada havia tempos: A PROIBIÇÃO DO SÁBADO NA VIDA DOS CRISTÃOS, resultado do ódio contra os judeus, pois os bispos não aceitavam guardar o mesmo dia que os de Israel.

O Cânon 29 do Concílio de Laodicéia decreta:

"Os cristãos não devem judaizar e ficar ociosos no sábado, mas trabalhar nesse dia; devem apenas honrar especialmente o dia do Senhor [domingo], e como cristãos, devem se possível, não trabalhar neste dia. Se, entretanto, eles forem encontrados judaizando, que sejam excomungados por Cristo".

A existência dos judeus é coisa perversa, venenosa e diabólica”.  “Queimem no inferno, é isso que merecem”.  “Os judeus são demônios”.  John Hagee, ‘Should Christians Support Israel? página 167.

Além de o resultado do Concílio de Laodicéia ter, finalmente, proibido o sábado na vida dos cristãos, pois até ali eles o guardavam, o Papa Libório ainda decretou severos castigos a qualquer cristão que ousasse desrespeitar o resultado do concílio.

Então, até um tolo pode concluir que se um Concílio foi criado exatamente para proibir todos os cristãos a continuar a guarda do sábado, não teria havido a necessidade desse disso se os cristãos já estivessem guardando o tal domingo desde a Ressurreição de Jesus, como querem os das doutrinas e tradições.
Mas na história do cristianismo sempre houve os remanescentes, os únicos da Bíblia, somente da Bíblia. Por isso mesmo, nem obrigados pelo Concílio de Laodicéia, nem por medo da tal excomunhão renegaram as promulgações de Deus para a guarda e santificação do sábado santo e abençoado, assim nomeado pelo Criador:

“Ainda que o número dos filhos de Israel seja como a areia do mar, o remanescente é que será salvo”. Romanos 9:27

Os remanescentes de hoje são aqueles que se colocaram sob a OBEDIÊNCIA irrestrita a Deus Pai, e mesmo com as dificuldades da santificação do sábado por conta do papado romano de Satanás que levou o mundo a "pisar" no sábado, eles se mantém fiéis ao Quarto Mandamento de Deus Pai.
Testemunhos de grandes homens a respeito dos santos sábados:

A maior das provas que comprovam que nenhum dos apóstolos de Jesus, mesmo depois de sua Ressurreição jamais guardaram um só sábado nos é provado pela História Universal e pelas Raízes da Igreja que mostram o evento CONCÍLIO DE LAODICÉIA, que foi convocado pelo Papa Libório (marcação católica) no ano 364 de nossa era, justamente para fazer cessar a guarda dosa sábados pelos cristãos, por puro ódio aos judeus. Os bispos cristãos, já habitando sob o teto dos palácios dos reis, não suportavam ter de guardar o mesmo dia que os judeus. E já que os judeus prefeririam morrer a violar os sábados, pelo Concílio de Laodiceia, no ano 364, FOI PROIBIDA A GUARDA DO SÁBADO QUE VINHA SENDO GUARDADO ATÉ ÀQUELE ANO. e para consolidar essa infeliz proibição, foram decretados severos castigos a todo aquele que ousasse continuar a guardar os sábados. Mas havia os remanescentes que preferiam castigos até mortais a agredir a Vontade de Deus. Vejamos alguns testemunhos de grandes homens a respeito do CONCÍLIO DE LAODICÉIA:


O professor de História Eclesiástica Edward Brerewood, do Gresham College, Londres, afirma:

“O sábado foi religiosamente observado na Igreja do Oriente, durante mais de trezentos anos depois da paixão do Salvador.” Fonte: “Learned Treatise of the Sabbath”, pág. 77.

O puritano William Prynne confessa francamente:

“O sábado do sétimo dia foi observado por Cristo, pelos apóstolos e pelos primeiros cristãos até que o Concílio de Laodicéia, século Quarto, há certos respeitos como o que aboliu a sua observância. O Concilio de Laodicéia decidiu, em primeiro lugar, a observância do Dia do Senhor, no caso o domingo, e em seguida proibiu sob pena de maldição a observância do sábado judaico.” Fonte: “História dos Concílios”, par. 38, pág. 163, tudo isso para não se parecer, em nada, aos judeus. Assim o forte vínculo que o papado romano tinha com os judeus foi abolido, sob aplausos de Satanás. Que havia maquinado bastante para isso! 
William Prynne foi membro da Igreja Presbiteriana, estudou na Universidade de Oxford e atuou como advogado e escritor.  William Prynne  (1633). Dissertation on the Lord's Day Sabbath, p. 33-34, 44. Quote in: ANDREWS, J. N. (1862). History of the Sabbath and First Day of the Week, Batthe Creek, US-MI: Steam Press of the Seventh-Day Adventist Publication Association, part. II, p. 265; 



Elaborei um blog que PROVA, PELA HISTÓRIA E PELA BÍBLIA, QUE O DOMINGO JAMAIS FEZ PARTE DO EVANGELHO COMO O DIA DO SENHOR, O "SUBSTITUTO" DO SÁBADO SANTO E ABENÇOADO DE DEUS.

Prova que nenhum dos apóstolos de Jesus guardaram um só domingo, mas sempre os sábados:

http://averdadebiblicaquenaofoiescrita.blogspot.com.br/


Se todos obedecessem ás leis oficiais do Criador, ele estaria nos devolvendo o Paraíso criado inicialmente para o primeiro casal!


Mas com todo esse cuidado do Criador, por todo esse aparato citado exatamente para chamar a atenção da Humanidade para a alta importância de suas leis, idealizadas pela sua Divina Sabedoria e Coerência, mas por conta da fragilidade humana que nem se presta a meditar e raciocinar  sobre as coisas de Deus, por sua conta e risco não se importaram com a divindade celeste do evento Monte Sinai, pois vieram a renegar duas dessas leis de Deus, sendo que os evangélicos, que se auto-proclamam da Bíblia, somente da Bíblia, agrediram Deus Pai ao submeter-se à "satanice" dos papas católicos que pelo Concílio de Laodicéia, ano 364,  decretaram falido o Quarto Mandamento, o do sábado e, para completar a maldade satânica, ainda decretaram perseguições a todos os que teimassem guardar o sábado, que havia sido santificado pelos cristãos pelo menos até o ano 313.

Notaram os amigos irmãos como Deus é Inteligência, Sabedoria e Perfeição? No entanto, como mostro aqui, até o mundo cristão está lotado de tolos, fariseus e hipócritas que "acham" e ensinam que Deus se arrependeu de ter cravado dois de seus Mandamentos nas Rochas Sagradas das leis, incrivelmente também os evangélicos que se dizem da Bíblia, somente da Bíblia, ingressando em terrível erro ao ENSINAR que Deus teria ingressado na  incoerência ao "extinguir", o quarto mandamento, também como perpétuo, pois conhecendo o futuro, seria ele altamente incoerente ao gravar tal mandamento sabendo de antemão que seria anulado a favor de um domingo, que felizmente não existe no Evangelho como o Dia do Senhor, a não ser nas bíblias modificadas, tais como as católicas mais modernas que trocaram o dia do senhor tive um sonho, em Apocalipse 1:10 por num domingo tive um sonho, ingressando nas terríveis maldições promulgadas por Deus no próprio  Apocalipse 22

"Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes ACRESCENTAR alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro.    E, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte do livro da vida, e da cidade santa, e das coisas que estão escritas neste livro". Apocalipse 22:18-19.

Portanto, estará condenado todo aquele que mudar qualquer colocação bíblica, pois estará agredindo a sabedoria de Deus e ingressando nas maldições promulgadas. Portanto, os editores católicos, os gestores de sites satânicos como o veritatis e muitos outros, que se cuidem.

Vede: Proponho-vos hoje  Bênção ou Maldição.  Bênção se obedecerdes aos mandamentos do Senhor. Maldição se não obedecerdes aos mandamentos do Senhor vosso Deus...   O Senhor, em Deuteronômio,   11.26

 

“E dizia-lhes: Bem invalidais o mandamento de Deus para guardardes a vossa tradição”.  Jesus, em Marcos 7:9.

Com respeito aos alertas do Pai e do Filho acima, ainda hoje, clérigos católicos e ortodoxos tentam, como podem, num emaranhado de suposições, invalidar DOIS dos Mandamentos de Deus, por conta de suas tradições religiosas, como veremos.

Incrivelmente, por conta de suas tradições, também os evangélicos atentaram e atentam contra os mandamentos de Deus, também cortando um deles, colocando-se subservientes ao papado romano da corrupção, ingressando na DESOBEDIÊNCIA a Deus Pai quando nos promulgou suas leis.

Uns o fazem por ignorância, por preguiça de estudar a Bíblia, de meditar e de raciocinar sobre a Palavra de Deus Escrita para chegar ao necessário discernimento.

  Outros, pela força predadora de grande parte das tradições religiosas, das doutrinas, por falta de sabedoria, por preguiça ou por conveniência, acreditam piamente nos pastores, padres e anciãos, cuja maioria absoluta ensina errado e, por confiarem no homem, sem conferir na Palavra Escrita de Deus, ingressam em grave erro. 

Mas os piores dos grupos são aqueles que conhecem as Escrituras, têm a plena consciência de que Deus nunca muda em suas promulgações. 

Não conhecem Malaquias 3:6 onde o Senhor afirma que ele NÃO MUDA.

Não conhecem Isaías 30:8 onde o Senhor revela que seus escritos são para sempre, perpetuamente; não conhecem Isaías  40:7- 8 e a Primeira Carta de Pedro 1:24 onde em ambas estão registradas que Deus nunca muda em suas promulgações; não  conhecem Gênesis 3:16 onde o Criador promulgou tribulações a Adão e Eva por conta da desobediência, tribulações que até hoje respingam em nós outros, de características perpétuas, pois Deus nunca muda em suas promulgações e aprova maior disso é que mesmo com a vinda do Jesus da Reforma, a Luz nas Trevas, do Amor, da Misericórdia, do Perdão, da Tolerância, da Liberdade e da Graça, um Jesus que se compadecia, que chorava e se comovia pelos injustiçados e que deu sua vida em sofrimento para nossa redenção, Deus Pai não moveu uma só palha para pelo menos amainar a dor do parto. 

Sabe por quê? Porque Palavra de Rei não volta atrás. Na sua perfeição, segundo as Escrituras, é impossível a Deus se desdizer!  Mas os grupos citados acima não respeita dessa Verdade.

Da mesma forma é impossível Deus cortar qualquer Mandamento do Decálogo (qualquer caractere, segundo Jesus) e se tivesse sido possível revogar uma das leis do Decálogo por conta da ressurreição de Jesus, certamente o Senhor Deus, Perfeito e Coerente, teria informado isso, claramente, objetivamente, no Evangelho, mas não há uma só palavra a respeito. 

Nem que seja apenas por isso, as Dez Leis foram perpetuadas pelo Senhor até o Grande Dia da Volta de Jesus, e esses piores dos grupos que a tudo atentaram e atentam para "lixar" das Rochas Sagradas de Deus o mais amado e importante Mandamento, o único nomeado por ele como SANTO e BENDITO e ainda como um SINAL entre ele e a Humanidade -- pois ele mesmo revelou que não faz distinção de pessoas --, esses grupos dos domingueiros atentam contra todas as dez leis por causa de uma só delas, renegando as Escrituras por conta de suas doutrinas, 
são servos do demônio, fariseus nefastos e hipócritas, com todas as letras.

E, para piorar muito o quadro acima citado, as maldições citadas em Deuteronômio,   11.26 se agravam muito mais quando parte daqueles que se dizem "pastores de Deus', seja quais forem as congregações às quais pertencem, pois ENSINAR ERRADO  é altamente danoso e pode levar a tragédias espirituais que podem resultar na perdição eterna por consequência da desobediência a Deus Pai. Quanto a isso, lembremo-nos que foi exatamente pela reiterada desobediência  do Povo de Deus, que ele varreu da face da Terra 11 das doze tribos de Israel, e só não extinguiu a derradeira porque Jesus teria de nascer israelita, segundo as profecias. 

Jesus já nos havia alertado a respeito, legitimando minhas colocações:

  "Deixai-os; são cegos condutores de cegos. Ora, se um cego guiar outro cego, ambos cairão na cova". Mateus 15:14

O Senhor Deus ordena cumprir todos os mandamentos cravados nas Rochas Sagradas do Monte Sinai:

Será, porém, que, se não deres ouvidos à voz do Senhor teu Deus, para não cuidares em cumprir TODOS os seus mandamentos e os seus estatutos, que hoje te ordeno, então virão sobre ti todas estas maldições, e te alcançarão”.  Deuteronômio 28:15 


Para os domingueiros que se prestam a desobedecer às ordens do Senhor, em seu Quarto Mandamento, pelo qual NOS ORDENA a guardar o sábado, digo que justamente nesse mesmo Mandamento já Está Escrito e está Legitimado o sábado como o DIA DO SENHOR imutável:


 “Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra.   Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas.  Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o Senhor o dia do sábado, e o santificou”. Êxodo 20:8-11.        O que Deus abençoa e santifica é absolutamente para sempre!

 "Porque eu, o Senhor, não mudo". Malaquias, 3:6


Mas os domingueiros, apegados às suas doutrinas,  não se valem das Verdades de Deus acima. Aliás, fogem delas, assim como gato escaldado foge até da água fria!

Há os piores: aqueles que têm a noção de que o sábado é para sempre, pois Deus NUNCA pode mudar em suas promulgações aos homens e mulheres -- como está colocado abaixo --, mas por sua tradição domingueira teimam em desobedecer ao Decálogo e, por consequência, a Deus Pai, ao opor-se a um dos seus principais Mandamentos, o único Instituído logo após a Criação do primeiro casal, e depois instituído por ele como uma ALIANÇA como UM SINAL entre ele e a Humanidade (Ezequiel 20:20), por isso tudo, os tais fariseus citados, optaram por anestesiar as suas consciências e bloquearem os seus sentidos para não terem de ingressar nas dificuldades da santificação do sábado e, para piorar, sobremaneira, ENSINAM ERRADO. Aí está um erro muito maior do que simplesmente errar!

Bem invalidais o mandamento de Deus para guardardes a vossa tradição”.
 Marcos 7:9.

Irmãos, sendo esse presente escrito elaborado para provar, biblicamente, que segundo a Palavra de Deus não há a mínima condição de ele, o Senhor, ter permitido cortar do Decálogo o seu Quarto Mandamento, nomeado por ele como Santo e Bendito, e instituído como um Sinal entre ele e os vivos (Ezequiel 20:20), promulgados e propagados oficialmente no Monte Sinai para regular as relações da humanidade para com ele, o Senhor (4 leis), e para regular as nossas próprias relações  (6 leis), pois Está Escrito que todos são iguais perante Deus, pois ele não faz distinção de pessoas ou de raças, pois todos são IGUAIS perante ele.

 Para complementar, Está Escrito em Efésios 2:14 que a parede que nos separava de Israel, que nos diferenciava dos israelitas, hoje judeus, foi DERRUBADA e, por sobra, enriquecendo ainda mais a existência hoje de um só povo perante Deus, nós outros e Israel, fundindo num só povo, 
Está Escrito que somos os legítimos herdeiros dos israelitas (Atos 3:24) o que vem a concluir que o Decálogo do Monte Sinai foi decretado para a Humanidade, e não só a Israel. 

Mediante isso tudo, resolvi denunciar, segundo a Palavra de Deus, o grande erro de católicos, ortodoxos e evangélicos de terem colocado o tal domingo dos homens no lugar do Sétimo Dia do Senhor. Vamos às provas? Vamos às provas irrefutáveis se estas primarem pela honestidade?

Está Escrito nas Cartas de Pedro e em Isaías que Deus nunca muda suas promulgações. Como, então, alguns pretendem fazer Deus mudar?

Seca-se a erva, e cai a flor, soprando nela o Espírito do Senhor. Na verdade o povo é erva. Seca-se a erva, e cai a flor, porém a palavra de nosso Deus subsiste eternamente”. Isaías 40:7.

Porque toda a carne é como a erva, e toda a glória do homem como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor, mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta é a palavra que entre vós foi evangelizada”.  1 Pedro 1:24.

“Vai, pois, escreve isto numa tabuinha perante eles; escreve-o num livro, para que fique registrado para os dias vindouros, para sempre, perpetuamente”.  Isaías 30:8.

Portanto, segundo a Bíblia, estando promulgado por Deus que sua Palavra nunca muda, nunca mudará, de modo algum, pelo menos em suas promulgações aos homens, assim como nunca mudou em suas promulgações à Adão e Eva -- na época os representantes da humanidade --, por isso mesmo as Dez Leis promulgadas no Monte Sinai  têm obrigatoriamente de permanecer eternamente,  pois se trata da Palavra de Deus oficialmente promulgada, propagada e registrada nas Escrituras.

Para ressaltar, grandiosamente, o acontecimento no qual o Senhor Deus promulgaria suas Dez Leis à Humanidade, definitiva e perpetuamente, ele promoveu, como só ele poderia realizar, com Grande Pompa, um Evento absolutamente Incrível, Fantástico, Divino, Espetacular e até mesmo Aterrador, pois na preparação do GRANDE ACONTECIMENTO, que se daria no Monte Sinai, o Monte Sagrado, para a gravação das suas Dez Leis, o Senhor fez com que, por semanas a fio, o fogo e fumaça envolvessem todo o Monte, que vibrava intensamente por todo o tempo; os trovões e raios se repetiam estrondosamente e, para completar a grandiosidade do Espetacular Evento, os anjos de Deus tocavam as suas trombetas cada vez mais alto, enquanto Moisés jejuava por semanas, na preparação para merecer receber as Rochas Sagradas das Leis de Deus, diretamente dele:

“E aconteceu que, ao terceiro dia, ao amanhecer, houve trovões e relâmpagos sobre o monte, e uma espessa nuvem, e um sonido de buzina (as trombetas dos anjos) muito forte, de maneira que estremeceu todo o povo que estava no arraial.  E Moisés levou o povo fora do arraial ao encontro de Deus; e puseram-se ao pé do monte. E todo o monte Sinai fumegava, porque o Senhor descera sobre ele em fogo; e a sua fumaça subiu como fumaça de uma fornalha, e todo o monte tremia grandemente. E o sonido da buzina (das trombetas) ia crescendo cada vez mais; Moisés falava, e Deus lhe respondia em voz alta. E, descendo o Senhor sobre o monte Sinai, sobre o cume do monte, chamou o Senhor a Moisés ao cume do monte; e Moisés subiu”.   Êxodo 19:16-20.  

Notou, irmão, toda uma divina preparação na qual o Senhor Deus oficializaria as suas leis à humanidade? Por que toda essa pompa divina? Ora, é facílimo concluir que foi  exatamente para deixar bem claro à Humanidade de todos os tempos que as leis de Deus são absolutamente necessárias para a salvação e jamais poderão ser corrompidas num único til, como Jesus promulgou no Evangelho. 

Como provei acima, segundo Está Escrito, Deus não promulgou as leis apenas aos israelitas, assim como não fez escrever os livros dos profetas, Salmos, Isaías, Daniel, Elias, Malaquias, somente para os israelitas, mas como na época só existia esse povo escolhido por Deus, foi a ele promulgadas as leis, pois assim como Adão e Eva representaram a Humanidade, muito mais Israel representou a Humanidade no Grande Evento Monte Sinai, pois hoje Israel só tem em torno de 15 milhões de filhos, sendo que a Humanidade de hoje, início do século 21, é formada por mais de sete bilhões de viventes.

Bem, estando provado, biblicamente, que a Palavra de Deus jamais poderá voltar atrás, aconteça o que acontecer, assim como não voltou atrás nas promulgações a Adão e Eva (com respingos nocivos em nós outros), que mesmo com a vinda de Jesus Cristo do Amor, que se comovia consideravelmente com os sofrimentos do povo, que se emocionava e até chorava  vendo a miséria humana, contudo, mesmo com todo esse amor e bondade de um coração puro não conseguiu nem abrandar as dores do parto, pois sabia que DEUS PAI NUNCA MUDA EM SUAS PROMULGAÇÕES, pois todas são perpétuas, "imexíveis", vamos então à grande mentira pela qual a maioria evangélica prega que Deus MUDOU,  pois os fariseus e os hipócritas de hoje ensinam, sem nenhum fundamento bíblico, que a Ressurreição de Jesus “lixou” das Rochas Sagradas das Leis o Quarto Mandamento, o dos Santos e Benditos Sábados do Senhor, como se o dia da Ressurreição de Jesus fosse mais importante que o DIA DA SUA MORTE, uma sexta-feira, pela qual o Filho de Deus Redimiu a Humanidade, habilitando-a a finalmente a ingressar pelos Portais do Reino de Deus que vai acontecer maravilhosamente no GRANDE DIA DA VOLTA DE Jesus, na Ressurreição Final (Mateus 25:31 a 44 e João 14: 1 -3).

Então, todos os domingueiros fizeram e fazem o Senhor Deus Imutável mudar. Pode?

Estudando-se o Novo Testamento com critério e atenção, concluímos que a palavra de Deus não atribui nenhum significado litúrgico ao dia da ressurreição, simplesmente porque esse acontecimento tem de ser visto apenas como uma realidade existencial experimentada pelo poder do Cristo vitorioso também sobre sua própria morte.  De modo algum a ressurreição de Jesus pode ser vista como uma prática cristã associada a culto aos domingos.  Cristo, que havia ressuscitado a outros, não poderia ser vencido pela morte, o que anula totalmente a pretendida importância do tal domingo.  Mas a Monumental Vitória de Jesus Cristo deu-se com a sua sofrida Morte na cruz!



Por que são tão importantes as dez leis para a Humanidade? Primeiramente, como revela divinamente o apóstolo Paulo, sem leis específicas, promulgadas e propagadas não teria como se reconhecer o que é pecado, que é ofensa e agressão ao Criador e, sem pecado não haveria culpa alguma e, não havendo culpa, não poderia haver castigos e, por consequência, sem merecimentos, não poderia haver o ingresso no Reino de Deus.  Por isso, nada, absolutamente nada funciona sem leis. Até os minúsculos átomos -- a menor unidade do Universo --, obedecem a leis, diretrizes previamente estabelecidas pelo Criador. Sem leis, um Juiz não teria com condenar um criminoso e, da mesma forma, sem as Leis de Deus não haveria como julgar os homens e mulheres do Grande Dia de Jesus.


“Vai, pois, escreve isto numa tabuinha perante eles; escreve-o num livro, para que fique registrado para os dias vindouros, para sempre, perpetuamente”.  Determinações do Senhor ao seu profeta Isaías 30:8.

Repetindo pela importância:

 "...pois se todos obedecessem a todas as leis do Decálogo, os seres humanos estariam a viver num mundo de sonhos: todos se respeitariam, não haveria criminosos, nem a necessidade de grades, de trancas, de polícia, de exércitos armados e de qualquer tipo de armas  e artefatos feitos para conflitos e guerras, o mundo seria muito mais saudável, não haveria pobres muito pobres, como também o Senhor Deus seria muito mais honrado e glorificado e, certamente,  a paz sobreviria sobre a Terra inteira".

Notaram a maravilhosa sabedoria do Senhor Deus? Fez tudo perfeito para que sua Criação vivesse num Paraíso de Glória, ainda enquanto aqui  na Terra, pois cercou-a com toda a atenção e cuidado mas, infelizmente, por conta de o homem ser dotado da autonomia de procedimentos, o tal livre arbítrio, esse Paraíso nunca existiu depois de Adão e Eva e, ainda hoje, vivemos uma geração cuja sociedade visivelmente se corrompe cada vez mais, progressivamente, mesmo devagar para não assustar, segundo a astúcia de Satanás, o Adversário do Criador.


Então, concluindo o principal tema desse assunto, os defensores de um domingo que nunca existiu no Evangelho, pois se pudesse existir estariam agredindo enormemente as determinações do Senhor Deus que revelam que ELE NUNCA MUDA EM SUAS PROMULGAÇÕES, a validade perpétua do Quarto Mandamento é para sempre.

Qual, então o preferido Mandamento de Deus ao qual ele o nomeou como SANTO E BENDITO, como um Sinal entre ele e a Humanidade, também legitimado por Jesus no Evangelho, como veremos a seguir?

O Senhor Deus ORDENA, e se ordena temos de obedecer incondicionalmente:  “Lembra-te...”.  “Nunca te esqueças...” “não importa como...”:

“Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra.   Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas.  Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o Senhor o dia do sábado, e o santificou”. Êxodo 20:8-11.

Então, como está provado que a Palavra de Deus permanece eternamente, o Quarto Mandamento perdurará para sempre, mesmo que o mundo ainda possa resistir por muitos e muitos séculos, queiram ou não, os clérigos católicos, ortodoxos, evangélicos, pois nem juntos têm força alguma para arranhar, nem de leve, a lei do Sétimo Dia gravada nas Rochas Sagradas das leis de Deus.

Devemos ter em conta o que Jesus respondeu aos fariseus que o acusavam de violar os sábados de Deus, por conta apenas dos milagres que Jesus realizava, TAMBÉM aos sábados, respondeu aos fariseus e aos parceiros do templo que apenas APARENTAVA que ele violava os sábados:

“Se o homem recebe a circuncisão no sábado, para que a lei de Moisés não seja quebrantada, indignais-vos contra mim, porque no sábado curei de todo um homem? Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça”.  Jesus, em João 7:23 a 24.

Sabe quem acusava Jesus de violar os sábados? Segundo o próprio Jesus ERAM OS FILHOS DO DIABO que o acusavam e, como tenho visto, temos ainda muitos filhos do diabo hoje em dia, que são todos aqueles que afirmam que Jesus violava os sábados trabalhando, como se Jesus tivesse realizado algum trabalho braçal aos sábados.

“Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira.    Mas, porque vos digo a verdade, não me credes.   Quem dentre vós me convence de pecado? E se vos digo a verdade, por que não credes?   Quem é de Deus escuta as palavras de Deus; por isso vós não as escutais, porque não sois de Deus”.   João 8:44-47

“E, tomando a palavra o príncipe da sinagoga, indignado porque Jesus curava no sábado, disse à multidão: Seis dias há em que é mister trabalhar; nestes, pois, vinde para serdes curados, e não no dia de sábado.   Respondeu-lhe, porém, o Senhor, e disse: Hipócrita, no sábado não desprende da manjedoura cada um de vós o seu boi, ou jumento, e não o leva a beber?   E não convinha soltar desta prisão, no dia de sábado, esta filha de Abraão, a qual há dezoito anos Satanás tinha presa?”.    Lucas 13:14-16

“E, estava ali um homem que tinha uma das mãos mirrada; e eles, para o acusarem, o interrogaram, dizendo: É lícito curar nos sábados?  E ele lhes disse: Qual dentre vós será o homem que tendo uma ovelha, se num sábado ela cair numa cova, não lançará mão dela, e a levantará?   Pois, quanto mais vale um homem do que uma ovelha? É, por conseqüência, lícito fazer bem nos sábados.  Então disse àquele homem: Estende a tua mão. E ele a estendeu, e ficou sã como a outra.  E os fariseus, tendo saído, formaram conselho contra ele, para o matarem”.  Mateus 12:10-14

“E os escribas e fariseus observavam-no, se o curaria no sábado, para acharem de que o acusar.  Mas ele (Jesus) bem conhecia os seus pensamentos; e disse ao homem que tinha a mão mirrada: Levanta-te, e fica em pé no meio. E, levantando-se ele, ficou em pé.   Então Jesus lhes disse: Uma coisa vos hei de perguntar: É lícito nos sábados fazer bem, ou fazer mal? salvar a vida, ou matar?   E, olhando para todos em redor, disse ao homem: Estende a tua mão. E ele assim o fez, e a mão lhe foi restituída sã como a outra.  E ficaram cheios de furor, e uns com os outros conferenciavam sobre o que fariam a Jesus”.  Lucas 6:7-11

Então, o próprio Jesus desmente todos os de hoje que atentam contra Deus Pai afirmando que Jesus desrespeitava os santos sábados.

Não se esqueça de que se Jesus nomeou os que o acusavam de violar os sábados são Filhos do Diabo, se você pertence a esse grupo Jesus está também advertindo-o da mesma forma.

“E dizia-lhes: Bem invalidais o mandamento de Deus para guardardes a vossa tradição”.  Jesus, em Marcos 7:9


Como não poderia deixar de ser, também no Evangelho, também sobre um Monte, assim como também aconteceu sobre um Monte a transfiguração de Jesus (Mateus, cap. 17), logo de cara, na sua Primeira Pregação à Humanidade, Jesus repetiu as promulgações de Deus Pai, legitimando a todos os povos a Validade Perpétua DE TODAS AS DEZ LEIS DE DEUS PAI. Por essa promulgação no Evangelho, Jesus  não concede brecha alguma a todos aqueles que atentaram e que continuam a atentar contra as Sagradas Leis do Decálogo. E no caso da maioria evangélica, os pastores atentam contra o Quarto Mandamento, desrespeitando e agredindo a Jesus Cristo quando ele bradou, solenemente, que poderá ser destruído o mundo todo, o Universo todo e até os céus, antes que seja possível ao homem modificar uma só vírgula, um só til de todos os Mandamentos do Decálogo:

“Não penseis que vim para revogar as leis, mas para cumprir”. “Passarão os Céus e a Terra antes que das leis possa retirar-se um só til”.  Jesus, em Mateus, 5.17 perpetuando as 10 leis.  

Contra os fariseus que atentam contra o Sétimo Dia, que por isso mesmo agem na tentativa de invalidar as declarações de Jesus afirmando “satanicamente” que Jesus veio e cumpriu as leis, e que por isso mesmo não precisamos mais cumprir, como se uma grande tolice dessas fosse minimamente possível. No preceito acima, Jesus anulou todos os argumentos possíveis a respeito da troca do sábado pelo domingo, na continuação de Mateus 5:17. Vamos conferir:

“Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus”.      Jesus, no Sermão do Monte, em Mateus 5:18-19, realçando, novamente o Decálogo de Deus também no Evangelho e, ao mesmo tempo, cortando as asas daqueles que insensatamente afirmam que “Jesus cumpriu as leis por nós”, como se fosse possível tal tolice.


Avançando ainda, no seguimento Mateus, 5, no Sermão do Monte, para não deixar dúvida alguma que ele, Jesus Cristo legitimava as Dez Leis de Deus Pai, TODAS ELAS, a todos os cristãos e a toda a Humanidade, ele ainda aumentou a dificuldade de observação de três das citadas leis: Vejamos o seguimento de Jesus onde ele cerca e anula quaisquer pretensões dos fariseus contra as leis, que ainda hoje infestam o cristianismo, de modo perturbador, pois infelizmente, são maioria:

Ouvistes que foi dito aos antigos: Não cometerás adultério.     Eu, porém, vos digo, que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela”.  Mateus 5:27.

Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; mas qualquer que matar será réu de juízo.  Eu, porém, vos digo que qualquer que, sem motivo, se encolerizar contra seu irmão, será réu de juízo; e qualquer que disser a seu irmão: Raca (tolo, insensato, cabeça oca), será réu do Sinédrio (Corte Suprema da lei judia); e qualquer que lhe disser: Louco, será réu do fogo do inferno”.  Mateus 5:21.

Portanto, no Sermão do Monte, Jesus anulou qualquer atentado dos fariseus da época e de hoje na vã tentativa de negar que ele legitimou TODO O DECÁLOGO também no Evangelho, o que torna o Quarto Mandamento, o do sábado, “imexível”, pois o proclamou e propagou da mesma forma como Deus Pai, como já mostrado acima, e de modo absolutamente contundente, irrefutável, taxativo, incondicional, indiscutível, inegável, irrevogável, irretratável e conclusivo, pois não poderia ser de outra forma, sendo que o Evangelho, a Boa Nova, a Nova Mensagem tem seus fundamentos inicialmente no Decálogo.

Por isso mesmo, Jesus mostrou diretamente ao Jovem Rico que o procurou a respeito, revelando duas condições na busca do Reino Eterno de Deus: OBEDIÊNCIA E AMOR.  Obediência irrestrita ao Decálogo do Pai e a pela necessidade da vivência na Religião da Graça de Jesus, que pauta pelo amor ao semelhante a ponto de servi-lo nas suas necessidades básicas, e até nas espirituais, se for possível.  Detalhes mais que suficientes em meu blog:

    http://oexemplodojovemrico.blogspot.com.br/ Se não abrir, copiar o http e colar no navegador.

Ao final do ano de 2015, numa pregação dos sábados do pastor Silas Malafaia pela TV, ele "revelou":  “Nove dos mandamentos se repetem no Evangelho, mas o do sábado não, por isso nós não o guardamos”.

Conhecedor profundo do Evangelho, eu estranhei tal declaração do famoso pastor, pois no Evangelho o sábado está repetido por nada menos que DEZ vezes,o que faz desse pastor mais um fariseu evangélico.

Uma só declaração de Jesus sobre o sábado já bastaria para envergonhar o pastor. Vamos a ela e às outras nove:

Jesus nos mostra que o sábado foi criado para o homem:

“O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado; de sorte que o Filho do homem é, também, o Senhor do sábado.  Jesus Cristo, em Marcos 2:28, respondendo à irritação dos judeus quando permitiu que seus amigos colhessem espigas (Mateus, 12:1), com o objetivo de mostrar que o amor de caridade tem de sobrepor-se a toda e qualquer lei, pois é maior que a fé (1 Coríntios 13:13) e, por isso, tem de sobrepor-se até mesmo ao mandamento do Sábado, pois seus amigos estavam com fome pelas longas caminhadas.  Da mesma forma, Jesus citou Davi que, com fome, ele e os seus amigos avançaram e comeram dos pães sagrados do templo, coisa proibida até para o rei, pois em ambos os casos não se poderia transferir a solução para o dia seguinte. Essa é a regra do sábado santo.

 Nesse preceito Jesus legitima o sábado mais uma vez: o sábado foi criado pelo Deus Imutável  por causa do homem, para a Humanidade Portanto, enquanto existir o homem na Terra, os sábados terão de ser observados, pelo menos pelos cristãos.  E inegavelmente é mais uma Verdade do Senhor Deus que não pode ser contestada por ninguém, e de modo algum!

Quanto a ser o Senhor do sábado, Jesus também afirmou que é maior que o Templo (Mateus 12:6  maior que Abraão (João 8:57), maior que Jonas (Lucas 11:32)  Maior que Salomão (Mateus 12:42) e mais importante que Jacó, sem desmerecer qualquer um deles.

Então, vamos às Dez provas, somente refutáveis para aqueles que tentam, de todas as maneiras, fugir da VERDADE BÍBLICA DO SÉTIMO DIA:

 “O sábado foi estabelecido por causa do homem...” .  Marcos 2:28.  Jesus afirma que o sábado foi criado para o homem. Pelo verso inteiro Jesus nos revela que o homem não foi criado só para o sábado, MAS O SÁBADO FOI CRIADO PARA O  HOMEM (a Humanidade).

 “E, chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga, e levantou-se para ler”.    Lucas 4:16. 

Não importam as interpretações, pois o que importa é que Jesus se fez mostrar santificando o sábado e assim transmitiu para sua Igreja, nos concedendo o exemplo. Os fariseus de hoje contestam essa Verdade, dizendo que se Jesus era Judeu, é certo que comparecia ao templo num sábado. Ora, que cretinice: Se o Espírito Santo de Deus quisesse (com quis) nos mostrar, COMO EXEMPLO, Jesus Cristo santificando os sábados sagrados de Deus Pai, que de outro modo faria senão COMO ESTÁ ESCRITO?   Está Escrito que Jesus, coerentemente santificava os sábados de Deus Pai, praticando a OBEDIÊNCIA, que para nós a primeira condição para a salvação.

Com relação a Jesus coerentemente guardando o sábado, se fosse acontecer o sábado ser "substituído" pelo incrível domingo, é certo que pela sua divina Coerência não estaria a honrar o sábado. É ou não é?

3O sábado ia começar. Ora, as mulheres que tinham ido da Galiléia com Jesus, indo, observaram o sepulcro onde fora colocado o corpo de Jesus. Voltando, prepararam aromas e bálsamos. No sábado, observaram o repouso, segundo a Lei”.  Lucas 23:55 - 56. 

O preceito acima nos revela que Jesus ensinou  a sua Igreja Primitiva a santificar os sábados de Deus. Nem precisava, pois entre os judeus cristãos havia a fé ferrenha no Decálogo, com forte atenção ao Sétimo Dia.

  No dia de sábado, saímos fora da porta, junto ao rio, onde julgávamos haver um lugar de oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que para ali tinham concorrido”. Atos dos Apóstolos 16:13.

Esse preceito revela, com toda clareza, um culto de louvor aos sábados pelos cristãos, MESMO APÓS A RESSURREIÇÃO DE JESUS. As mulheres cristãs sempre trabalhavam, só não aos sábados. Então, segundo o preceito acima, estavam em dia de descanso, santificando os sábados assim como os homens!

5  “No sábado seguinte, concorreu quase toda a cidade para ouvir a palavra de Deus, mas os judeus, vendo aquela concorrência, encheram-se de inveja...”.  Atos 13:41 - 44. 

Se os judeus encheram-se de inveja não se tratava de uma reunião judia aos sábados, pois aconteceu ao ar livre, junto a um rio, pois é evidente que, quase toda a cidade não caberia num salão ou num templo, então, está claro que essa reunião, para adoração, no santo dia do Senhor, foi realizada ao ar livre.

 “E todo o sábado, ensinava na sinagoga, persuadindo tanto judeus como gregos”. Atos 18:4.  

Os defensores do domingo inventado argumentam, falsamente, que Paulo comparecia às sinagogas dos judeus aos sábados, porque era nesse dia que podia encontrá-los, mas não é o caso aqui, pois pela sua tradição, a israelita, jamais aceitariam que gentios pagãos - no caso presente os gregos - participassem de cerimônias em seus templos, em simples reuniões e nem mesmo aceitavam permanecer com eles ou com outros pagãos no mesmo ambiente. Sabemos que o santo em vida Paulo não ensinava somente aos judeus, mas também aos gentios e aos demais pagãos. Quanto a isso, se os primeiros cristãos guardavam o sábado mesmo após a ressurreição de Jesus, só isso prova a Grande Mentira do tal domingo, um feito gigantesco de Satanás. Um erro bíblico descomunal, mas praticado pelos evangélicos em geral, como se a Palavra de Deus pudesse mudar nua só vírgula.

 Então voltaram para Jerusalém, do monte chamado Olival, que dista daquela cidade tanto como a uma jornada de sábado...”.  Atos 1:12.

 Ora, ao se referirem a uma jornada de sábado como exemplo pelos apóstolos de Jesus, é certo que se tratava de um preceito em uso.

  “Orai para que vossa fuga não se dê no inverno, nem no sábado”.       

 Jesus Cristo, em Mateus 24:20, quando ressalta, novamente, a grande importância do sábado (nem no inverno que é muito frio, o que dificultaria a fuga dos inimigos romanos (na terrível  carnificina, no massacre contra os judeus nos anos 70, no episódio Masada), nem nos sábados porque é o Dia Santo de Deus, consagrado para descanso e louvor.

9    “Porque em certo lugar disse assim do dia sétimo: E repousou Deus de todas as suas obras no sétimo dia”.  Hebreus 4:4.

1  Em Mateus 5:17 até 37, nos revelam um Jesus legitimando TODAS AS DEZ LEIS no Evangelho. E não há como fugir disso, pois se das leis não se pode retirar um simples caractere,o Mandamento do sábado, que tem 433 caracteres, foi instituído pelo Senhor Deus para sempre!

Então, o Evangelho desmente totalmente o Pastor Malafaia.


Waldecy Antonio Simões    walasi@uol.com.br

Todos os meus escritos são livres para publicações, desde que os textos não sejam modificados.

Quem precisa de mais que isso para inteirar-se de que O SÁBADO É PARA SEMPRE?


 Meus blogs: 















http://ainfalibilidadedospapasewabsurda.blogspot.com.br/





























                                                          













































                            












 Waldecy Antonio Simões. walasi@uol.com.br

Todos os meus textos são livres para publicações, desde que os textos não sejam alterados

Eu sou a voz que clama na Internet.

 “Então, no Reino do Pai, os justos resplandecerão como o Sol”.  Promessa de Jesus, em Mateus, 13.43